SEASON FINALE.

domingo, 31 de dezembro de 2017


Eu vejo inúmeras pessoas desejando que o ano acabe alegando que 2017 não foi um ano bom por N motivos. O que me faz pensar o porquê disso? Logo, chego a concisão que só não foi um ano do jeito que elas realmente almejavam por que provavelmente não correram atrás para concretizarem seus objetivos. Certo? Certo!

Que 2017 foi isso, um ano cheio de eita atrás de eita, ninguém pode negar que foi.  Mas que também não foi um ano de todo ruim. Eu sou muito, muito grato pelo ano que tive.

2017 foi um ano de muito aprendizado. Muito mesmo. E também foi um ano de superação pessoal e de muitas provações no trabalho. Todas superadas com louvor. Mas que no fim, tudo colaborou para dar certo.

E o que dizer das minhas conquistas?! Conquistas em termos pessoais de grande importância para o que serei daqui por diante. E das pessoas que o destino se encarregou de colocar em meu caminho!? Todas com seus papeis devidamente desempenhados com muita  maestria para que o meu ano fosse o que foi. Muito obrigado pessoal!

2017 foi o ano onde eu vivi altos e baixos no campo sentimental, onde eu aprendi a lidar melhor com os meus sentimentos e como eu os sentia. Aprendi a tomar as decisões certas sem trocar as mãos  pelos pés. Aprendi também a não guardar mágoas de coisas/pessoas que não deram certo e deixar partir o que não quer ficar.  E acima de tudo e mais importante, me libertei de sentimentos que me aprisionavam por anos!

Entrei finalmente pra faculdade, no curso que sempre sonhei em fazer. Com o incentivo e apoio de uma das personagens mais emblemáticas dessa temporada dois mil e dezessete. E já tenho planos maiores para 2018.

Em 2017, eu fui viver a vida na terra dos adultos, quando decidi ir desbravar novos horizontes sozinho. Mas apesar de ter falhado, eu ainda voltarei a fazer uma nova tentativa em 2018. E dessa vez, pra ficar!

Então é isso..
Chegamos no último episódio dessa temporada que pra mim, teve um ótimo desempenho.

E que venha 2018, com um novo enredo, novos personagens e novas aventuras. Amém!

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017


Hahaha.  :(

Esse foi 2017, o fanfarrão !

***

Eu vou seguir o meu caminho
E te esquecer
Pensar um pouco em mim, tentar viver
Seria o bastante

FELIZ NATAL?

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Já faz alguns anos que essa data perdeu o sentido pra mim.  O Natal tem sido apenas mais uma data no calendário que não tem nada de especial. Algo disfarçado par burguês ver. Nunca foi a minha data comemorativa favorita do ano, por sempre me remete a melancolia e a uma falsa harmonia e felicidade. Não gosto! E não me venha com essa de "Ah, mas cadê o espírito Natalino?".  Não trabalhamos!

É DIFÍCIL

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017


É Natsumi, eu te entendo  : /



Todas as vezes que se fala em "sentimentos" , eu sempre tenho a sensação de estar vagando em um enorme, silencioso e escuro oceano de emoções. Por mais que eu converse ou tente explicar para alguém sobre como eu me sinto e o que eu sinto, eu sempre vou ter essa sensação de estar sozinho. A impressão que dá é que eu nunca conseguirei ser completamente claro em relação ao que eu quero que as pessoas entendam. Eu sinto uma enorme necessidade de me expressar e dizer como eu me sinto para as pessoas com quem convivo e tenho um relacionamento de proximidade. Mas ser incompreendido me deixa muito desanimado em tentar novamente e me faz dar dois passos para trás dos três que dei para frente. Espero que um dia eu encontre alguém que me entenda sem muito esforço e com leveza.

domingo, 17 de dezembro de 2017

Fim de semana; saímos, bebemos, dançamos, flertamos e nos divertimos muito na presença dos migos. Muitos stories e fotinhos contando como foi divertido e como foi proveitoso tirar esse tempo para espairecer a mente com pessoas que gostamos de estar perto. Eu estava realmente precisado.

***

Essa semana farei minha limpeza energética/espiritual. Estou contando com isso para que muita coisa caminhe do jeito que eu estou planejando para 2018. Que o cosmos me ouça e me atenda, amém!

***

Minha ultima sessão de terapia do ano é terça-feira, e talvez essa será a nossa ultima sessão. Eu ainda estou cogitando a ideia de trocar de psi. Mesmo ela sendo uma ótima profissional, eu não estou vendo avanços no tratamento. Talvez eu tente fazer com outro profissional que siga outra vertente.

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Eu me sinto agitado como um mar. Meus sentimentos se movimentam com muita rapidez dentro de mim. Duvida, muitas duvidas surgem na minha cabeça  e o pânico toma conta. Eu vejo tudo turvo e não vejo ninguém que possa me socorrer e dizer que tudo vai ficar bem. Eu queria sair daqui desse lugar e correr, correr sem destino e pra bem longe. Preciso acalmar o meu coração. A sensação é estranha, é inexplicável mas eu sei que uma hora irá passar..

Existe uma coisa dentro de mim, uma característica da minha personalidade que sempre me incomodou. É algo bem desconfortável ter que confrontar esse tipo de coisas aqui no blog, mas como isso aqui é uma extensão da minha terapia, eu acho válido pra mérito de um autoconhecimento compartilhar com vocês esse fato que tanto me atormenta.


O lance é o seguinte, eu não consigo/não sei lidar com situações onde eu tenho que exercer o papel de suporte emocional para as pessoas. É embaraçoso pra mim, ter que fazer esse tipo de coisas e dizer palavras "bonitas" de apoio. Não consigo! Não é que eu não queira fazer isso, mas é por que eu não sei ser esse tipo de pessoa. Seria uma falta de empatia ou algo do tipo? Penso que, se não for pra ajudar, eu também não atrapalho. Correto?

Um exemplo: Tenho uma amiga está passando por uma barra na vida pessoal dela; a mãe está com problemas sérios de saúde, ela descobriu que está com leucemia e sua depressão está voltando e pra piorar, um dos filhos está ameaçado de morte. Tragédia pouco é bobagem,certo?! E eu sou a única pessoa que ela pode contar para conversar e desabafar tudo o que está lhe causando dor. É uma baita responsabilidade lidar com isso. Ela deposita em mim, um mundo de coisas na esperança de que eu a conforte da forma convencional que as outras pessoas fazem. Dando força e dizendo que tudo irá melhorar...essas coisas. Mas eu não consigo. Eu não consigo fazer absolutamente nada! Fico ali, parado. Estático como uma pedra, sem reação.  Apenas ouvindo. Tenho uma trava que me bloqueia de fazer isso. Por sorte, ela me entende e respeita o meu jeito de ser. Mas já houve muita incompreensão por parte de outras pessoas por esse meu jeito. Certa vez, uma pessoa (a qual já não falo mais) disse algo que me deixou profundamente reflexível sobre essa minha postura: "Você é um poço de insensibilidade."  Me questiono: "Será que por eu não conseguir demonstrar sentimentos nesses momentos, eu realmente sou esse poço de insensibilidade como disseram? Mas e quando eu demonstro esses pequenos gestos pra pessoas em horas aleatórias e elas não entendem? Isso também não seria considerado insensibilidade da parte delas, justamente por eu estar ali demonstrando afeto e apoio e elas não notarem?"

Com isso, me vem a pergunta que volta e meia circula na minha mente: "Será que estou sendo um bom amigo?" "Será que estou dando o devido apoio que a pessoa merece e precisa?" São tantos questionamentos que às vezes a cabeça chega a doer. Porque eu me preocupo de verdade com isso.

Deixo aqui meus questionamentos e sigo tentando mudar esse quadro. Como? Eu ainda não sei!

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

minha cabeça anda tão aérea, literalmente nas nuvens. ando muito disperso às vezes até fora de órbita. isso não tá legal.

***

ainda não tô conseguindo entender a dinâmica da pessoa, ele tá sendo uma grande incógnita.  mas tô tão envolvido que não me importo de desvendar esse enigma. :P

****

época das confraternizações,né!? ontem, rolou a do pessoal da faculdade e foi bem legal. o encontrou rolou em um restaurante no estilo Outback. comida farta, e uma enorme variedade de bebida. nossa! de quebra, eu conheci duas moças super simpáticas de SP ( que sotaque gostoso de se ouvir,eu amo! ). uma era casada e super faladeira, a outra, noiva e super goodvibes. a moça casada e eu conversamos sobre vários assuntos, trocamos dicas de séries e filmes. a outra por sua vez, me deu dicas viagem e alguns pontos turísticos e casas noturnas interessantes de SP para visitar. no fim da noite, trocamos contatos e um eventual convite para uma viagem a SP foi feita. dito isso, eu gostaria de finalizar dizendo: 2018, me traga mais gente assim,por favor! Obrigado!.

FAZ PARAR

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017



    

aperta o play, fecha os olhos e só vai.

Faz parar

O movimento
A gravidade
Os homens do lugar
O horizonte
O calor
A bomba atômica
A correnteza
A multidão
A minha música
A tempestade
O cristal
Da minha lágrima
Faz parar tudo que move
Esse seu olhar

Seu olhar
Desperta o medo
O desejo
Os homens do lugar
Os olhos negros
A cidade
A carne trêmula
A madrugada
Que eu guardava
Em minha música
O mundo inteiro
Que eu carrego
Em uma lágrima
Desperta tudo que atravessa
Esse seu olhar

sábado, 9 de dezembro de 2017

ultimamente, eu ando muito desgostoso de uma série de coisa. me sinto desmotivado para fazer as coisas mais simples como por exemplo: eu tenho um exame para fazer e não consigo marcar um dia certo para realização do mesmo. eu estou sempre protelando e colocando barreira para tudo. fatores externos tem uma forte influência para este tipo de comportamento vindo de minha parte. essa ultima semana então, nuss. é difícil de admitir, mas eu estou vivendo uma fase muito barra pesada. eu sinto que algo me puxa pra baixo constantemente e isso me preocupa. durante as sessões de terapia, eu não consigo expressar o quão preocupante isso é para a mim. as palavras fogem de mim e eu não sei o que fazer. me sinto desesperado querendo conversar com alguém sobre o que ando passando mas não consigo expressar como me sinto de uma forma exata e precisa, da mesma forma que me expresso aqui. eu gostaria de poder me expressar e me colocar melhor para as pessoas. mas é difícil.

minha vida sentimental continua uma verdadeira bagunça. esse novo cara que apareceu tem sido um belo de um bundão. ele demonstra que tem interesse em algo, mas nada muito claro. não tem uma atitude! além de já ter desmarcado umas três vezes de sair comigo. isso meio que mina minha confiança em querer continuar a tentar,sabe?! já ouvi vários conselhos dos amigos dizendo que eu deveria desacelerar e ir com calma com esse cara. admito que sou uma pessoa muito acelerada e prática. não gosto e nem faço muitos rodeios quando eu quero algo ou alguém. mas daí volto a uma velha questão que me coloquei há alguns meses atrás, quando me desliguei do R. "eu preciso ter mais jogo de cintura! ser mais maleável com as coisas e as pessoas neste sentido. será que eu estou pronto para isso? " uma vez que, esse novo cara tem uma outra vibe, é mais cabeça, mais maduro e mais velho...será uma tarefa bem difícil, mas vamos lá. eu não costumo desistir tão fácil assim. vamos ver até onde isso vai dar!

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

tá rolando tanta coisa estranha. desde semana passada quando meu amigo disse que eu precisava descarregar as 'energias ruins' com um ebó, a semana passou arrastada e com um ar pesado. tô reconsiderando o fato de ter que fazer isso mesmo pra poder me livrar dessa bad vibe.

convidei o crush pra tomarmos uma cerveja na brodagem como quem não quer nada, na quarta-feira. ele havia topado a principio. fiquei com uma leve expectativazinha de que seria um ótimo momento pra conhece-lo melhor. me coloquei a disposição, dei o meu numero de telefone pra caso ele quisesse entrar em contato comigo para acertarmos os detalhes do encontro. quis deixa-lo o mais a vontade possível. mas no final das contas, eu acabei levando um belo de um bolo. fiquei frustrado! estou frustrado! não dá pra entender essas pessoas que correspondem as expectativas e na hora do vâmo vê, elas correm! porque fazem isso meu Deus?

a turma da faculdade marcou um happyhour com a presença dos professores pra fechar o semestre. mais da metade confirmou presença. sinceramente? eu tô com o tesão no pé pra interagir com as pessoas. mas vamos ver se até segunda feira que vem essa onda ruim passa. por ora, eu só quero ficar quietinho no meu canto.

domingo, 3 de dezembro de 2017

ontem, eu tinha uma consulta de reposição de duas sessões de terapia em que uma eu não pude ir e a outra, a psicóloga não pôde ir.  ela agendou a sessão para às 09h da manhã do sábado. na noite anterior (sexta-feira), eu tive a velha e habitual insônia e vejam só, eu só consegui dormir às 05h:50min da manhã, crente que eu conseguiria acordar para ir a sessão. pff. eu cheguei a colocar o despertador pra tocar às 07h:30min na tentativa de conseguir descansar uma hora e meia que fosse, porém, sem sucesso. eu acordei às 08h:45min com a mensagem da psicóloga avisando que já estava a minha espera. me desesperei por ter perdido a hora. tentei justificar que possivelmente eu não conseguiria chegar a tempo (o local onde me cuido é numa cidade vizinha, que de carro eu chego em 40~50min até a clinica) e que se ela quisesse adiantar outros pacientes, que assim fizesse. ela vetou a sugestão e argumentou que não poderia fazer isso com 15 minutos faltando para a minha terapia e que se fosse assim todas as vezes, que eu deveria desmarcar ou avisar antes. eu comecei a ficar irritado e cortei o assunto. por sorte, eu havia marcado um outro compromisso após essa consulta. fui visitar um velho amigo que aproveitou e fez um jogo cartas pra mim. fazia tempo que não ia visita-lo, e estava devendo isso pra mim mesmo. as cartas sempre me falaram coisas certeiras sobre as respostas que eu ia buscar. dessa vez não foi diferente. dentre várias boas novas que me alegraram o dia, houve uma coisa que não me deixou muito animado, porém não era uma novidade saber daquilo. cuidado! esse era o recado central de todo o jogo. ele me recomendou fortemente fazer um 'descarrego' energético para afastar as energias ruins que segundo ele, estão me cercando. estou cogitando fortemente fazer isso, já que há dedo de terceiros por trás de tudo isso como as cartas me confirmaram. credo! como alguém pode apelar para algo tão baixo pra ficar por cima, não é? me pergunto o quão frustrada deve ser a vida dessa pessoa. Deus é mais,irmão! hoje, eu deveria tirar o dia para estudar pra minha prova amanhã, mas meu ânimo tá no pé. talvez eu passe o olho amanhã antes da prova,vai que cola?

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

o período letivo na faculdade tecnicamente  foi encerrado esta semana. e fazendo uma breve reflexão sobre, eu cheguei a seguinte conclusão: que apesar de corrido no início e um pouco atropelado, por questões burocráticas da própria faculdade, eu passei por esse primeiro período levando uma bagagem boa de conhecimento e construi uma rede interessante de amigos. ter entrado para a faculdade aos 29 anos foi a melhor coisa que eu poderia ter feito por mim, neste momento.


me propus a ser diferente, e a explorar melhor algumas características que eu sabia que tinha, porém não tinha pleno conhecimento e nem traquejo para tal. me coloquei a prova e me testei das mais diversas formas e me surpreendi com os resultados obtidos. é incrível como eu consegui fluir em meio a um mundo de novidade e de uma forma muito tranquila. me tornei mais aberto e susceptível para que as pessoas pudessem chegar até mim sem 'barreiras'. fiquei mais acessível à todos e vi meu crescimento pessoal deslanchar de uma forma jamais vista.


mal terminou e eu já estou com saudades. saudades dos mestres incríveis que tive neste primeiro período. à eles todo o meu apreço. e em especial, claro, vou sentir muito mais dele! mas enfim, é mais um ciclo da vida que tem seu fim. o importante são os laços que conquistei e a amizade que fica.


eu só tenho a agradecer, ao cosmos/Deus por tudo. e principalmente à minha amiga querida E. que me deu força desde o inicio a começar a cursar psi., que era um sonho antigo, que só foi viável graças ao meu esforço e incentivo  que recebi dessa querida.  amigos! o que seria da gente sem eles?   

******

eu estou indo de contra a todo um sistema da minha natureza; impulsiva e ansiosa. tenho me sentido muito mais contido e ponderado nas questões sentimentais. mas tenho tido muito receio de que no fundo, não passe apenas de um fogo de palha, uma agitação momentânea do que  algo que eu realmente queira pra minha vida. estou sentindo uma sensação muito boa, apesar de tudo, tô sabendo levar de boas as coisas que tem acontecendo. a experiência tem sido totalmente diferente dessa vez. mesmo que por ora, nada tenha tido um rumo definido. saber lidar com sentimentos e expectativas é algo que me deixa muitas vezes em uma verdadeira corda bamba, sem saber o que devo fazer. sorry vida, eu não domino bem desses paranauês.

 
LAYOUT BY: JOSÉ