O TELEFONE SEM FIO

sexta-feira, 27 de setembro de 2019

Acho que ainda não cheguei a escrever nada aqui no blog sobre amizade que eu e a melhor amiga do crush desenvolvemos. Mas desde Jun/Jul quando a conheci, nós mantemos contato secretamente.

"Mas José, porque vocês estão tendo que manter contato sem o cara saber?"

Foi uma decisão dela e eu também achei uma boa. Segundo a mesma, foi para evitar que ele ficasse ressabiado pelo que ela poderia me dizer ao seu respeito. Bem, por aí você pode pensar: "Humm, nesse mato tem cachorro!" E tem!

Ela me contou algumas particularidades sobre o cara que me deixaram tipo: "Humm, conte-me mais sobre!"

Não sei vocês, mas eu sou uma pessoa que tem todos os pés atrás quando o santo é muito do bonzinho. Ela me liga regularmente e sempre com o pretexto de saber se tenho notícias do amigo. Eu sempre falo que sim, que volta e meia nos encontramos e conto pra ela o que acontece nos nossos roles. Nada demais, nada que eu não contaria para uma amiga. Mas ultimamente eu tenho notado uma certa malícia na fala dela quando se refere ao G. Ela me disse na ultima vez em que nos falamos que ele desabafou com ela algumas coisas sobre mim e disse que eu estava confundindo as coisas. Foi quando eu percebi a jogada dela tentando me desestabilizar. Então contra ataquei dizendo algumas coisinhas que ele também disse sobre ela. Coisas pesadas. E finalizei dizendo que se ele tinha alguma reclamação para fazer que fizesse direto à mim, e não para terceiros. Ela ficou por um momento muda do outro lado da linha e quando voltou a falar disse que já imaginava que o G fosse falar aquilo para mim, afinal ele imaginou que nosso contato se restringiria apenas àquele dia da social que rolou na casa dele. Ela disse e que eu não era a primeira e nem a segunda pessoa que já havia alertado sobre a forma que o G a trata. Eu sempre me questionei isso, sempre me perguntei por que ela insiste em ficar numa relação como essa. Onde o cara não tá nem aí pra ela e que já disse mais de uma vez que não a considera como amiga da mesma forma que ela o considera. E a resposta dela é sempre a mesma: "Eu gosto dele!" Mas até onde vai esse gostar de alguém que te trata com indiferença, te usa e depois te joga fora? É de dar pena, sabe? Mas cada um sabe onde o calo aperta. Então não vou me meter numa relação onde um gosta de 'bater' e outro de 'apanhar'. Se está cômodo pra ambos os dois, quem sou eu para opinar sobre alguma coisa? Eu sinceramente só espero que ela acorde dessa relação tóxica e veja que as coisas não são bem do jeito que ela imagina que seja. Que nem sempre o carinho, afeto e mão amiga que nós oferecemos será retribuída da mesma forma e intensidade pelo outro. De coração, espero mesmo que ela reaja a tudo isso e saia disso.

A real é que ela só se aproximou de mim com o único propósito de confirmar as suspeitas sobre a bissexualidade do G. E em muitos momentos pude perceber em suas falas um tom de inveja e ciúmes por que comigo o tratamento é X  e com ela é Y. Há uma discrepância no tom dele comigo e com ela. Nesse meio tempo em que estamos conversando eu contei sobre os lugares que frequentamos quando saímos à noite e o que costumamos fazer. Ela ficava inquieta do outro lado da linha, era perceptível. Em algumas de nossas conversas ao telefone ela sempre surge com a seguinte questão: " Eu quero entender o que você tem a oferecer, Zé. Por que você é careta para algumas coisas que o G gosta de fazer. e ele não joga para perder e mesmo assim vocês ainda mantém contato. Eu tô boba!" . É um tom de incredulidade e indignação da parte dela. Eu a entendo, no fundo  eu a entendo. Mas eu também não jogo para perder. Eu acredito que ela ainda não tenha percebido, mas sim, eu tenho muito a oferecer quando me disponho a oferecer e pra quem eu quero oferecer. Talvez o G. tenha notado esse meu diferencial que nela ele não encontrou. Só isso. Em diversos momentos a questionava se era somente amizade o que ela nutria por ele e em todo momento ela dizia que sim. Bem, eu já não acho que seja apenas isso. Há um ressentimento, uma mágoa ali escondida, algo mal resolvido entre eles. Uma rejeição talvez?

Não sei.

***

Mas confesso que isso me deixa muito excitado e toda vez que vejo que eu consigo desestabiliza-la eu atiço mais, jogando mais lenha na fogueira. Por que no fundo no fundo ela sabe que gosta dele não só como amigo, mas como homem também.  Sejamos francos, porra!

TODO MUNDO É MEIO FLEA.

quarta-feira, 25 de setembro de 2019

Esses dias eu me peguei agindo igual a Fleabag durante uma conversa quando ela interage com o telespectador fazendo as caras e bocas para a câmera. É engraçado por que eu sempre tive esse cacoete, e depois que eu conheci a série eles se intensificaram. Mas não ao ponto de ficarem visíveis para os outros. Bem, eu acho.
.
essa é uma das caretas mais usuais.
.
A propósito, a série foi a grande ganhadora do Emmy este ano. Parabéns Phoebe por ter criado essa master piece que é Fleabag.

EU QUERIA SER A SHEILA.

segunda-feira, 23 de setembro de 2019

Queria. Por que essa capa de invisibilidade dela é tudo pra quem assim como eu é tímido, e não sabe como lidar em determinadas situações desconfortáveis.

Seria uma mão na roda para aqueles dias que não quer ver a cara ninguém.

Ou até mesmo para passar despercebido por aquela pessoa insuportável e que você detesta e tem que lidar no seu dia-a-dia quando você acorda de ovo virado, sabe?

Acho que este é o item mágico que se existisse na  real life, com certeza eu daria mundos e fundos para tê-lo.


Sheila, conte comigo para tudo.

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

O final de semana foi de calmaria. Passei o sábado colocando as coisas em dia. Como eu havia me programado para tomar um banho de mar, mas o tempo não colaborou muito virando subitamente,  resolvi ficar em casa lendo e ouvindo Pink Floyd.


No domingo eu me dei ao luxo de acordar tarde ( à tarde literalmente ) e como o tempo ainda estava meio cá meio lá eu terminei de fazer algumas coisas pendentes do sábado. E no finalzinho da tarde fui fazer uma visita a um casal de amigas queridas que estava morrendo de saudades. Passamos a noite conversando, tomando vinho e comendo. Domingo 10/10.


Como eu havia dito, o final de semana foi light.  Às vezes é preciso para desacelerar um pouco.


{ troquei a imagem tema do blog. cês gostaram? }  :)


sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Das coisas boas que a fotografia nos traz, com certeza, conhecer pessoas e trocar experiências é uma das melhores partes desse trabalho. 


Há duas semanas eu fotografei uma colega do trabalho, tal qual como mencionei aqui. E de lá pra cá, eu percebi uma pequena mudança em meu comportamento. Muito devido a troca que eu e esta pessoa tivemos durante a nossa sessão fotográfica. Houve muita sinergia e muita conexão. Percebi que assim que terminei de fotografa-la um gatilho foi ativado para que coisas como; meditação, yoga e coisas do gênero ganhassem uma certa relevância no meu dia a dia. De lá pra cá, eu medito todos os dias por pelo menos cinco minutos. Isso tem me ajudado com questões da minha ansiedade. Me ajuda a me concentrar melhor e pasmem, até dormir bem..


E ainda dizem que a vida é um mero acaso. Não. Não é. Tanto não é que esta semana esta mesma pessoa me chamou para um jantar em sua casa. A princípio eu pensei em recusar o convite, mas pensei melhor e achei não fazer isso pois seria uma tremenda desfeita.


O jantar foi uma forma carinhosa e um gesto muito bonito por parte dela como forma de agradecer pelo convite feito para ser fotografada. Essa minha colega (agora posso chama-la de amiga) mora em um lugar dos sonhos, atrás de uma reserva ecológica e uma praia particular. Lugar onde fizemos as fotos. Tem tudo a ver com a vibe dela. O lugar é tão convidativo que é impossível não relaxar e ficar a vontade .


Conversamos por horas a fio, e o teor da maior parte da conversa era sobre o trabalho e os nichos que nos permeavam e o quão abusivo e tóxico o ambiente de trabalho pode ser e como as pessoas adoeciam mentalmente ali. Enfim, foi uma grande lavagem de roupa suja, desabafos e confissões. Apesar de tudo isso, foi uma noite agradável.



E no fim, como chave de ouro, eu recebi este presente juntamente com um cartão com agradecimento. Sabe, coisas assim me fazem acreditar que existem pessoas que realmente enxergam na gente o nosso potencial e acreditam nisso. Esses pequenos gestos me fazem criar uma auto confiança no que eu faço e acreditar que eu estou indo pelo caminho certo. À ela, eu só tenho que a agradecer.



.

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

Hoje é aniversário de dois anos do blog. 

AMARELO

terça-feira, 3 de setembro de 2019

Começou o mês da prevenção contra suicídio.


Ontem, durante o percurso de volta para casa eu me questionei sobre isso.


Me dei conta de que as coisas não andam bem aqui dentro, de que não me sinto satisfeito e que tem horas que me sinto completamente vazio e sem perspectiva das coisas. Mas não tenho vontade de me matar. Não, não é isso. As coisas tem perdido o brilho tornando-se opacas. É como se tudo estivesse desbotando e se tornando um borrão na cor sépia. O que não me faz esmorecer e cair é o fato de que tenho me agarrado nas pequenas coisas que ainda me dão prazer, como a fotografia, por exemplo.


2019 tem sido um ano estranho para mim. A faculdade por exemplo. Eu tive que dar um tempo. Tranquei. Não me sentia por inteiro ali. Sentia que não estava me doando suficientemente para ser um aluno 'bom'. Então eu resolvi parar para me recompor e assim que eu estiver melhor eu volto. Coloquei seis meses como meta inicial para estar ok e poder voltar.


É difícil encarar a realidade e assumir que precisamos de ajuda.

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

Minhas férias terminaram e já cheguei a mil grau, sendo atualizado dos últimos acontecimentos do setor. Tivemos de surtos psicóticos à visita surpresa do Ministério Público devido a denuncias anônimas. Ansioso pelos próximos capítulos. *risada maléfica*


Minha gastrite está a todo vapor nos últimos dias. Que horrível essa sensação de azia e má digestão. Não recomendo. 


Fiz um ensaio fotográfico massa ontem. Foi com uma colega de trabalho que é toda 'zen' a qual nos damos super bem. Meditamos antes da sessão, o que me ajudou pra caramba a não ficar ansioso. O resultado foi 10/10. Isso me deixa tão feliz. Não vejo a hora de publicar o resultado final nas redes sociais.


Amiga que está morando na Bahia atualmente me faz um convite para passar as férias de janeiro pelas bandas de lá. Olha, nunca tive a menor vontade de conhecer a Bahia, mas depois do que me foi dito, eu comecei a considerar seriamente a possibilidade de ir.

 
LAYOUT BY: JOSÉ