O TELEFONE SEM FIO

sexta-feira, 27 de setembro de 2019

Acho que ainda não cheguei a escrever nada aqui no blog sobre amizade que eu e a melhor amiga do crush desenvolvemos. Mas desde Jun/Jul quando a conheci, nós mantemos contato secretamente.

"Mas José, porque vocês estão tendo que manter contato sem o cara saber?"

Foi uma decisão dela e eu também achei uma boa. Segundo a mesma, foi para evitar que ele ficasse ressabiado pelo que ela poderia me dizer ao seu respeito. Bem, por aí você pode pensar: "Humm, nesse mato tem cachorro!" E tem!

Ela me contou algumas particularidades sobre o cara que me deixaram tipo: "Humm, conte-me mais sobre!"

Não sei vocês, mas eu sou uma pessoa que tem todos os pés atrás quando o santo é muito do bonzinho. Ela me liga regularmente e sempre com o pretexto de saber se tenho notícias do amigo. Eu sempre falo que sim, que volta e meia nos encontramos e conto pra ela o que acontece nos nossos roles. Nada demais, nada que eu não contaria para uma amiga. Mas ultimamente eu tenho notado uma certa malícia na fala dela quando se refere ao G. Ela me disse na ultima vez em que nos falamos que ele desabafou com ela algumas coisas sobre mim e disse que eu estava confundindo as coisas. Foi quando eu percebi a jogada dela tentando me desestabilizar. Então contra ataquei dizendo algumas coisinhas que ele também disse sobre ela. Coisas pesadas. E finalizei dizendo que se ele tinha alguma reclamação para fazer que fizesse direto à mim, e não para terceiros. Ela ficou por um momento muda do outro lado da linha e quando voltou a falar disse que já imaginava que o G fosse falar aquilo para mim, afinal ele imaginou que nosso contato se restringiria apenas àquele dia da social que rolou na casa dele. Ela disse e que eu não era a primeira e nem a segunda pessoa que já havia alertado sobre a forma que o G a trata. Eu sempre me questionei isso, sempre me perguntei por que ela insiste em ficar numa relação como essa. Onde o cara não tá nem aí pra ela e que já disse mais de uma vez que não a considera como amiga da mesma forma que ela o considera. E a resposta dela é sempre a mesma: "Eu gosto dele!" Mas até onde vai esse gostar de alguém que te trata com indiferença, te usa e depois te joga fora? É de dar pena, sabe? Mas cada um sabe onde o calo aperta. Então não vou me meter numa relação onde um gosta de 'bater' e outro de 'apanhar'. Se está cômodo pra ambos os dois, quem sou eu para opinar sobre alguma coisa? Eu sinceramente só espero que ela acorde dessa relação tóxica e veja que as coisas não são bem do jeito que ela imagina que seja. Que nem sempre o carinho, afeto e mão amiga que nós oferecemos será retribuída da mesma forma e intensidade pelo outro. De coração, espero mesmo que ela reaja a tudo isso e saia disso.

A real é que ela só se aproximou de mim com o único propósito de confirmar as suspeitas sobre a bissexualidade do G. E em muitos momentos pude perceber em suas falas um tom de inveja e ciúmes por que comigo o tratamento é X  e com ela é Y. Há uma discrepância no tom dele comigo e com ela. Nesse meio tempo em que estamos conversando eu contei sobre os lugares que frequentamos quando saímos à noite e o que costumamos fazer. Ela ficava inquieta do outro lado da linha, era perceptível. Em algumas de nossas conversas ao telefone ela sempre surge com a seguinte questão: " Eu quero entender o que você tem a oferecer, Zé. Por que você é careta para algumas coisas que o G gosta de fazer. e ele não joga para perder e mesmo assim vocês ainda mantém contato. Eu tô boba!" . É um tom de incredulidade e indignação da parte dela. Eu a entendo, no fundo  eu a entendo. Mas eu também não jogo para perder. Eu acredito que ela ainda não tenha percebido, mas sim, eu tenho muito a oferecer quando me disponho a oferecer e pra quem eu quero oferecer. Talvez o G. tenha notado esse meu diferencial que nela ele não encontrou. Só isso. Em diversos momentos a questionava se era somente amizade o que ela nutria por ele e em todo momento ela dizia que sim. Bem, eu já não acho que seja apenas isso. Há um ressentimento, uma mágoa ali escondida, algo mal resolvido entre eles. Uma rejeição talvez?

Não sei.

***

Mas confesso que isso me deixa muito excitado e toda vez que vejo que eu consigo desestabiliza-la eu atiço mais, jogando mais lenha na fogueira. Por que no fundo no fundo ela sabe que gosta dele não só como amigo, mas como homem também.  Sejamos francos, porra!

2 comentários :

  1. Tem gente que parece preferir viver se enganando, né? É de dar dó.

    Vanessa,
    tristezinhascotidianas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Não sei se gosto desses relacionamentos imaturos. Por que você simplesmente não se afasta dela? Pois me parece que a sua relação com ela também é tóxica. Tenta desenvolver mais a sua amizade com ele, pergunte a ele não a ela o que ele pensa de você.

    ResponderExcluir

 
LAYOUT BY: JOSÉ