E SE EU PUDESSE SER UMA MÚSICA, EU SERIA....

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Eu era conhecedor zero do trabalho da Björk. Admito aqui, que tinha até um certo receio de me envolver, por que eu sabia que iria gostar do que veria. Por fim, me rendi, e fui pedir ajuda dos universitários para saber qual álbum da islandesa começar a ouvir primeiro. Pois bem, meus amigos queridos, me indicaram este álbum dela para começo de conversa. E foram enfáticos: "Escuta o disco, leia as letras e assista os videoclipes e depois venham conversa conosco." E assim eu fiz. Passei um final de semana digerindo e tentando entender a mensagem do álbum + videografia dessa era.. E por fim, descubro que este disco é inteiramente falando sobre termino de relacionamento e recomeço. Minha empatia foi tanta que logo de cara, essa música que abre os trabalhos do disco, me cativou e logo se tornou a minha faixa favorita do álbum. Essa letra/música fala tanto sobre o meu estado atual, de como eu me sinto por dentro, do meu estado emocional, que acho melhor parar por aqui e deixar vocês curtirem esse videoclipe maravilhoso.



Ainda dói. Mas eu sei que a dor é passageira e isso logo vai passar.


E quem está aberto?
E quem se calou?
E se um sente-se fechado
Como pode o outro permanecer aberto?


Nós temos necessidades emocionais
Oh necessidades, necessidades oh oh
Eu queria poder sincronizar nossos sentimentos
Nossos sentimentos, oh oh
Mostre respeito emocional
Oh respeito, respeito



Nenhum comentário :

Postar um comentário

 
LAYOUT BY: JOSÉ