LOVE IS A LOSING GAME

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Belmiro de Almeida - Arrufos, 1887

É incrível como histórias de corações partidos são a chama para acender a criatividade nas pessoas,não é? Vide a quantidade de artistas que quando estão vivenciando esse bad romance criam verdadeiras obras de arte - ou não - . Vejam o exemplo da Adele, que despontou com o seu segundo disco que foi todo composto em cima de uma grande desilusão amorosa. Ou então a finada Amy Winehouse que criou o maravilhoso Back To Black, nos mesmos moldes.

Sofrer por amor é combustível que alimenta a alma de um artista. De uma forma a expurgar tudo aquilo que lhe fez mal através da arte. Eu tenho um amigo artista plástico que toda vez que "se fecha", você pode ter certeza que o bichinho levou um pé na bunda e está sofrendo por amor. Resultado: Ele cria LINDAS obras de arte, transformando sofrimento em poesia visual.

Comigo não é diferente. Das poucas vezes em que levei um pé na bunda, eu mergulhei fundo no fundo do poço e lá achei a minha inspiração para fotografar (sim, eu sou fotógrafo) ou para escrever ou desenhar. De alguma forma aquela situação me serviu como gatilho para me expressar melhor e explorar ao máximo aquele sentimento em potencial para a criação de algo posteriormente. 

Eu costumo dizer que se fazer de forte quando você está no olho do furacão só te traz prejuízos emocionais a longa escala. Por que você acaba guardando pra si uma carga emocional ao qual deveria ser devolvida para o Universo e não introjetada dentro de você. Eu aprendi isso através da terapia, e eu digo uma coisa: Viva tudo o que tiver de viver e deixe o universo fazer o resto. Um belo dia, mais cedo ou mais tarde, você se dará conta de que não sente mais nada. Não acumule sentimentos que não lhe pertencem. Afinal,tudo passa, até uva-passa. :P

Nenhum comentário :

Postar um comentário

 
LAYOUT BY: JOSÉ